segunda-feira, 27 de abril de 2015

Comemoração do 25 de abril na EB1/JI da Brandoa


O 25 de Abril foi comemorado na EB1/ JI da Brandoa com um encontro entre os alunos do 3.º e 4.º anos e o Sr. Joaquim Labaredas, convidado pela Associação de Pais e Encarregados de Educação (APEE), que na 1.ª pessoa falou da sua atividade política antes desta data. Os alunos participaram com muito interesse e entusiasmo. Agradecemos à APEE por esta iniciativa e ao Sr. Labaredas, por nos ter proporcionado um interessante testemunho de uma época da nossa história.

Dia Mundial do Livro na EB1/JI da Brandoa





O Dia Mundial do livro foi sinalizado na Biblioteca da EB1 / JI da Brandoa pela partilha de leituras entre padrinhos e afilhados das mais variadas formas. Este dia tem como objetivo reconhecer a importância e a utilidade dos livros, assim como incentivar hábitos de leitura.


domingo, 26 de abril de 2015

25 de abril

Abril de Abril

Era um Abril de amigo Abril de trigo
Abril de trevo e trégua e vinho e húmus
Abril de novos ritmos novos rumos.

Era um Abril comigo Abril contigo
ainda só ardor e sem ardil
Abril sem adjectivo Abril de Abril.

Era um Abril na praça Abril de massas
era um Abril na rua Abril a rodos
Abril de sol que nasce para todos.

Abril de vinho e sonho em nossas taças
era um Abril de clava Abril em acto
em mil novecentos e setenta e quatro.

Era um Abril viril Abril tão bravo
Abril de boca a abrir-se Abril palavra
esse Abril em que Abril se libertava.

Era um Abril de clava Abril de cravo
Abril de mão na mão e sem fantasmas
esse Abril em que Abril floriu nas armas.


Manuel Alegre
30 Anos de Poesia
Publicações Dom Quixote









sexta-feira, 24 de abril de 2015

Leituras Partilhadas



Li todo o livro e adorei. Este livro é um relato doloroso de abandono, crueldade e sobrevivência, é, acima de tudo, uma história espantosa que confirma uma verdade fundamental : o amor consegue vencer todos os obstáculos.


No without you de Alan e Irene Brogan

Beatriz Simões 10º1





É um livro muito interessante, cheio de ação do princípio ao fim. O facto de a história por base um acontecimento real torna ainda mais interessante o livro. Gostei e aconselho a quem goste de conspirações e mistérios.

O Anjo que queria pecar de Francisco Salgueiro

Catarina Moita 10º1




Adorei o filme. O livro está muito bom com um pouco mais de detalhes de que o filme. Recomendo a leitura, pois é uma mistura de sentimentos, uma grande emoção, de coragem de Katniss para salvar a sua irmã.

Hunger Games de Suzanne Collins

Diogo Carvalho 10º1



Para mim, Júlio Verne é o melhor escritor de todos os tempos. Ele conseguia ver e criar coisas do futuro e, neste livro, dá para ver isso. No seu livro, ele criou o submarino e descreveu o fundo do mar sem ter estado lá. E um século depois , tudo o que está no seu livro aconteceu. A criação dos submarinos, todos os seres que ele descreveu estavam lá. Parecia que ele tinha uma bola de cristal para ver o futuro. Ele, para mim, é como se fosse um profeta.

Vinte mil léguas submarinas de Jules Verne

10º1


quinta-feira, 23 de abril de 2015

Oficina de criação livresca

Para celebrar o Dia Mundial do Livro, os alunos do 7º e do 8º ano criaram pequenos livros na aula da professora Ana Estevens com a turma AP8. 
Para criar os seus livros,  utilizaram 1 folha A4, 2 rolos de cartão do papel higiénico, cola, fita de pintor e folhas de revistas para a capa. 
O resultado foi bastante bom e os alunos ficaram satisfeitos.


quarta-feira, 22 de abril de 2015

Dia Mundial do Livro 2015


No dia 23 de abril celebra-se o Dia Mundial do Livro, por decisão da UNESCO. ​Pretende-se chamar a atenção para uma data considerada simbólica por nela terem nascido importantes escritores internacionais. Em todo o mundo, organismos da administração central e local, com especial destaque para as Bibliotecas Públicas, e entidades da sociedade civil destacam o prazer de ler, e a importância que os livros, nos seus vários suportes, têm na sociedade contemporânea. 
Este ano, o cartaz do Dia Mundial do Livro é da autoria do atelier Silvadesigners, e mostra-nos, num jogo de luzes e efeitos, que os livros podem ter leituras variadas e múltiplos ecos, consoante os leitores a que chegam.